Na manhã desta terça-feira (15), o SINDSEMP-AP participou de carreata pelas ruas de Macapá contra a Reforma da Previdência estadual, enviada à Assembleia Legislativa do Amapá pelo governador Waldez Góes (PDT) em agosto deste ano. A manifestação reuniu diferentes categorias de servidores, que exigem uma posição pública dos deputados estaduais contra o projeto. A carreata também parou em frente à sede dos Correios, em apoio à greve dos trabalhadores da empresa contra a privatização pretendida pelo governo Bolsonaro. 

A PEC do governo estadual propõe que a previdência social do Amapá passe por mudanças para se alinhar à Reforma da Previdência nacional promovida pelo governo Bolsonaro em 2019. O projeto prevê que a idade média de aposentadoria das mulheres vá para 62 anos (hoje é de 55 anos); entre homens, a aposentadoria aumentaria em 5 anos. Atualmente eles se aposentam com 60 anos e, com a reforma, o tempo passaria a ser de 65 anos.

O secretário-geral do SINDSEMP-AP, Elton Corrêa, avalia que os servidores do estado estarão unidos para enfrentar a Reforma da Previdência de Góes e também a Administrativa de Bolsonaro: “As durezas dos ataques dos governos, seja ele federal ou estadual, somado a pandemia, levou a unificação dos sindicatos no Amapá e a agirmos juntos nas atividades para denunciá-los. A atual luta contra a Reforma da Previdência do governador Waldez Góes do PDT, deve se somar a derrubada da Reforma Administrativa do governo genocida de Bolsonaro, esse é o maior desafio para as lideranças sindicais no Amapá conduzirem atualmente.” 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here