Na manhã desta sexta-feira (18), representantes da diretoria do SINDSEMP-AP se reuniram com o presidente da Assembleia Legislativa do Amapá, Kaká Barbosa (AVANTE), com a representante da Comissão de Constituição e Justiça, Edna Auzier (PSD),  e os parlamentares Cristina Almeida (PSB) e Jory Oeiras (PSDC). O objetivo das entidades era pressionar os parlamentares para a arquivar a Reforma da Previdência proposta pelo governador Waldez Góes (PDT). 

Na reunião, o presidente da Casa se comprometeu a não colocar em votação em 2020 o aumento do tempo de contribuição e nem mudanças no regime de pensões. No entanto, o deputado Kaká Barbosa afirmou que o aumento da alíquota mínima para 14% precisa ser votado ainda este mês, segundo ele, este é o prazo que os estados têm para ajustarem os percentuais em razão da Reforma da Previdência federal, ocorrida em 2019.

O secretário-geral do Sindisemp-AP, Elton Corrêa, participou da reunião e comenta a vitória temporária na Assembleia: “O governo já queria que votassem a alíquota mínima de 14% e se implementasse toda a Reforma federal, então, ao menos momentaneamente, conseguimos. Na reunião de hoje eles se comprometeram com a gente que não colocarão os outros pontos em votação esse ano”. Na próxima segunda-feira (21), ocorrerá nova reunião com a referida Comissão de Constituição e Justiça. 

Últimas

Mais Lidas

Você tambám vai se interessarRelacionado

Para você

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here