Desde que o governo federal apresentou a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 32/2020, da Reforma Administrativa, a FENAMP e a ANSEMP vêm promovendo uma série de campanhas nas redes sociais contra a PEC. Na mais recente ação das entidades, os posts de pressão sobre os deputados indecisos de cada estado atingiram mais de 2,4 milhões de pessoas no Facebook e Instagram. Somado com outras ações, o público total que recebeu os materiais contra a Reforma Administrativa somente nos últimos 30 dias chega a 2,7 milhões. 

A ação de pressão sobre os deputados indecisos bateu o recorde de audiência entre as campanhas contra a PEC 32/20. As postagens foram impulsionadas para os estados de cada deputado com o objetivo de informar os eleitores nas bases dos parlamentares sobre a proposta e engajar a população contra a reforma. 

O resultado de 2,7 milhões de pessoas atingidas ainda é apenas o total obtido via impulsionamento pago. Se considerado o alcance orgânico, via compartilhamentos espontâneos nas redes sociais, a expectativa é de que a campanha tenha ultrapassado os 3 milhões em público atingido. 

Outras campanhas também tiveram resultados muito satisfatórios nas ações contra a Reforma Administrativa. A campanha de denúncia dos parlamentares que votaram a favor da PEC 32/20 na Comissão Especial foi uma delas, atingindo um público de mais de 440 mil pessoas. Os vídeos de alerta sobre os perigos da proposta apresentada pelo governo também tiveram centenas de milhares de espectadores nas redes sociais e Youtube. 

Recentemente, a FENAMP e a ANSEMP também lançaram uma ferramenta para disparar emails para os deputados e pressionar contra a PEC. Mais de 21,5 mil emails já foram enviados aos parlamentares desde o lançamento da página no início do mês. 

As diversas campanhas das entidades nacionais dos servidores do Ministério Público dos Estados iniciaram ainda em setembro do ano passado, logo após a apresentação da proposta. Além das ações de redes sociais, a FENAMP e a ANSEMP também estão promovendo caravanas semanais para Brasília e a convocação para as manifestações de rua nos estados. As ações seguirão até a derrota da PEC 32/20 na Câmara dos Deputados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here